Pages

quinta-feira, 3 de julho de 2014

Gestores apresentam balanço das ações do Estado para o Mundial e Confederações

Secretários de Estado que participaram do planejamento estiveram presentes no encontro
Na segurança pública, foi feita a implantação do Centro Integrado de Comando e Controle Regional (CICCR) e a integração operacional e técnica das instituições. Para isso o Estado investiu, entre 2007 e 2013, R$ 606 milhões, além de mais R$ 42 milhões oriundos do Governo Federal. Durante os dois eventos esportivos, trabalharam 2.260 profissionais de segurança. Ao todo foram registrados 59 boletins de ocorrência na Arena, sete termos circunstanciados, um auto de prisão em flagrante e um boletim de ocorrência criminal. O Corpo de Bombeiros fez 75 atendimentos. Nenhum episódio grave foi registrado, segundo o secretário-executivo de Defesa Social, Rodrigo Basto.

Dos investimentos na segurança, ficará em Pernambuco o CICCR, o robô antibomba, imageador aéreo para helicóptero, duas plataformas de observação elevada, que captam imagens de diversos ângulos e as transmitem em tempo real para centros de controle. Também ficam os dois Centros Integrados de Comando e Controle Móvel (CICCM), uma delegacia móvel e um caminhão antitumulto.
Na saúde, para garantir as ações preventivas e de atendimento durante as competições foi montada uma Unidade Avançada de Apoio à Saúde (UAA) e ocorreu ainda a instalação do Centro Integrado de operações Conjuntas da Saúde (Ciocs). Também fez parte das iniciativas o acompanhamento integrado com entidades das três esferas governamentais, que juntas também fizeram avaliações das estruturas da Arena Pernambuco. Durante a Copa das Confederações foram feitos 193 atendimentos intra-arena e 22 na UAA. Já na Copa do Mundo foram 542 intra e 44 na UAA.
No tópico referente à mobilidade, o secretário extraordinário da Copa, Ricardo Leitão, afirmou que o saldo foi positivo. Os ônibus expressos do BRT transportaram 10,68% dos torcedores que optaram pelos modais públicos, o que corresponde a 13.852 pessoas, e terminou sendo uma crescente de usuários durante o evento. “Um ponto muito positivo é que muitas pessoas que utilizaram o serviço não estavam acostumadas. Tivemos a chance de divulgar o transporte público. Esse é um ótimo legado”, disse. Apesar dos acertos, algumas obras referentes ao sistema viário ainda não estão concluídas integralmente. São elas: os Corredores Leste-Oeste, Norte-Sul, o Ramal Cidade da Copa e a Via Mangue. No entanto, Leitão explicou que todos esses serviços estão em ponto de operacionalização. “Poucos estados conseguiram isso antes da Copa”, disse.
Fonte :Folha de PE.

0 comentários:

Postar um comentário