Pages

terça-feira, 17 de junho de 2014

Armando diz que Frente Popular não tem consistência ideológica

Foto: Leo Caldas/Divulgação
Foto: Leo Caldas/Divulgação
O senador Armando Monteiro Neto (PTB), pré-candidato a governador de Pernambuco, classificou, nesta segunda-feira (16), que a Frente Popular é “ajuntamento ocasional de interesses”. O petebista afirmou também que a coligação não tem consistência ideológica e, comparando as 20 legendas aliadas às quatro que estão com o seu partido, disse: “a força de um conjunto político não se mede por um número de siglas que possam estar reunidas num palanque.”
Para o pré-candidato a governador, a união dos 20 partidos da Frente Popular é orientada, muitas vezes, por interesses particulares das lideranças. Armando continuou alfinetando o grupo, afirmando que é desforme em suas ideias. “Esse gigantismo, essa incoerência incomoda setores expressivos da população de Pernambuco”, disse.
O senador citou o exemplo de lideranças socialistas afirmarem que o discurso polarizado entre petistas e tucanos estar esgotado, ao mesmo tempo em que o Eduardo Campos (PSB) tem ligação com o presidente nacional do PSDB, Aécio Neves. “Você vem do DEM para o PCdoB. É até difícil fazer discurso porque boce corre o risco de falar o mal de alguém”, disse.
AGENDA - O senador comentou a Frente Popular durante coletiva de imprensa realizada nesta manhã para apresentar um balanço inicial do Pernambuco 14, agenda com 14 plenárias pelo Estado para ouvir sugestões da população que formarão o programa de governo. As cinco principais prioridades apontadas foram educação, saúde, segurança pública, estradas e transportes. Mas Armando também destacou o tema do abastecimento de água entre os principais.
“Notamos nas pessoas uma necessidade de mudanças mais significativas, além da importância do governo federal nas realizações”, avaliou João Paulo (PT), pré-candidato a senador na chapa. Para Armando, o projeto acaba mobilizando os eleitores sobre os seus anseios para o Estado.”Tão ou mais importante do que as propostas apresentadas está o desejo entusiasmado em participar.”
Foram três reuniões na Região Metropolitana do Recife, três no Agreste, duas na Zona da Mata e seis no Sertão. Com propostas divididas em quatro eixos – desenvolvimento, qualidade de vida, cidadania e infraestrutura -, os participantes se dividiam para os debates e sugeriam ações e diretrizes para o plano.
Fonte : Blog de Jamildo.

0 comentários:

Postar um comentário