Pages

domingo, 22 de junho de 2014

Mexicanos não polemizam com croatas


Miguel Herrera lembrou que futebol se decide no campo e México tem a vantagem do empate. Foto: AFP

Arrogância? Falta de respeito? O técnico da seleção mexicana não apontou nada disso nos adversários croatas, que esbanjaram confiança para o jogo desta segunda-feira (23), na Arena Pernambuco. Miguel Herrera adotou aquele discurso de quem não que ficou incomodado mas não quer tocar fogo num jogo por si só complicado. Para ele, na hora da coletiva, sentado diante dos jornalista pode-se falar o que quiser, mas o futebol decide-se dentro de campo. E isso ele também acredita que seus comandados podem fazer bem.

"Sentados aqui podemos falar vinte mil coisas e pensar que um é melhor que o outro. Mas isso tem que ser demonstrado dentro de campo. E nós tivemos atitude, somos uma seleção sólida, que ainda não tomou gol. São duas seleções que gostam de jogar para frente e amanhã veremos qual a mais sólida", avaliou.


O zagueiro Hector Moreno também estava presente na coletiva e seguiu a linha de raciocínio do treinador. Ele lembrou que esse grupo vem trabalhando muito forte e sabe perfeitamente da responsabilidade que terá na partida.


"Estamos focados e trabalhando para isso. O grupo está com a mentalidade de entrar para a história. Temos a oportunidade de dar um passo à frente e estamos confiante na nossa capacidade. No campo é que temos que falar que falar. Não damos muita importância a essas coias, depois do jogo a gente vai ver quem tem a melhor seleção e tenho total confiança de que será o México", arrematou.


Além do bom desempenho no Mundial, jogadores e comissão técnica também estão empolgados com a presença da torcida, que deve ser em grande número no Recife. Herrera coloca sua seleção como o time local no jogo desta segunda. "Vamos ser locais amanhã. Ouviremos o grito do México extremamente forte. Vamos ouvir o que a torcida gritar e mostrar que estamos com eles. Isso nos motiva a jogar com mais atitude", garantiu.


Se o Kovac minimizou um pouco a qualidade técnica mexicana, Herrera fez questão de jogar a pressão para o lado europeu. Ele lembrou que é seu time que joga por dois resultados e que fez isso dentro de campo, deixando a entender que não precisou bradar nada aos quatro ventos para estar numa situação mais confortável e a sorte que o adversário viu do México contra o Brasil foi fruto do trabalho.


"Às vezes se tem sorte, mas nós corremos atrás da sorte, eles não. Ganharam de Camarões como nós ganhamos, mas nós empatamos com o Brasil. Eles não. E é esse ponto que faz a diferença", enfatizou Miguel Herrera, que vai manter a mesma escalação que iniciou o jogo em Fortaleza.


Fonte: NE10.

0 comentários:

Postar um comentário