Pages

terça-feira, 10 de junho de 2014

Crianças de comunidades do Recife vão atuar como gandulas na Copa

Na mente, o sonho vivo de ganhar o mundo com a bola nos pés. Mas, por ora, as mãos é que vão realizar o desejo. No Recife, 49 crianças e adolescentes foram escolhidos para entrarem na Arena Pernambuco e na Arena das Dunas, em Natal, mas não necessariamente pisando no gramado. A poucos centímetros das quatro linhas, elas vão participar da Copa do Mundo como gandulas.
Todos os contemplados foram escolhidos através de ações promovidas por um dos principais patrocinadores do Mundial. São jovens que, normalmente, vivem uma realidade difícil e que, em sua maioria, estarão em arenas de Copa do Mundo pela primeira vez na vida.   
O desejo de ser jogador de futebol, comumente, atinge os meninos. Mas a responsabilidade de não falhar na função de gandula também estará nas mãos de algumas garotas. Três delas residem na cidade da Arena Pernambuco, São Lourenço da Mata. Jogam futsal em uma escola estadual. Nunca pisaram em arenas de Copa do Mundo e, pela primeira vez, vão entrar na Arena Pernambuco e também na Arena das Dunas.
Gandulas Arena Pernambuco (Foto: Daniel Gomes)Garotada celebram a oportunidade de atuarem como gandula na Copa do Mundo (Foto: Daniel Gomes)
- É um sonho para mim como seria para qualquer outra pessoa que também joga futebol. Mal posso esperar para começar logo - disse Jenniffer Silva, de 16 anos.
Compartilhando o mesmo sonho e vivendo a mesma realidade, estarão duas amigas de quadra: Renata Alves, de 15 anos, e Lidiane Lira, de 16.   
Gandulas Arena Pernambuco (Foto: Daniel Gomes)
Jenniffer, Lidiane e Renata também vão 
atuar como gandulas (Foto: Daniel Gomes)
- Não tem como não ficar ansiosa. Poder estar vivendo tão de perto o ambiente de uma Copa do Mundo é algo único - disse Renata.   
No campo de terra batida no bairro de Casa Forte, zona norte do Recife, nove meninos que treinam diariamente em uma escolinha de futebol, também foram escolhidos. O sonho em ser jogador futebol é ainda mais forte e a ansiedade também toma conta deles.   
Os gandulas têm uma cartilha, onde algumas condições estão implícitas na seção "coisas que não se pode fazer". Dentre elas estão coisas como "não torcer por nenhuma seleção" e "não entregar a bola a ninguém que não seja da arbitragem ou jogadores".   
- Vai ser difícil segurar a emoção. Imagina quando Balotelli pedir a bola para mim? Vai ser muito legal. É uma sensação única ver ídolos do futebol mundial ali, a dois, três passos de nós. Já estou ansioso - disse Pedro Miranda, de 15 anos.
Fonte :globoesporte.com
Por Recife

1 comentários:

  1. ESTAMOS GASTANDO UMA GRANA DANADA PARA PROPAGAR O COMBATE AO TRABALHO INFANTIL; ISTO NÃO É TRABALHO INFANTIL... FASCISTAS!

    ResponderExcluir