Pages

domingo, 10 de novembro de 2013

Lideranças de toda a Zona da Mata recebem Armando

A presença do senador Armando Monteiro na Zona da Mata Norte de Pernambuco, neste sábado (09), mobilizou lideranças de mais de 30 municípios da região, incluindo representantes da Mata Sul e Agreste Setentrional.

Armando cumpriu uma agenda extensa durante todo o dia, que se encerrou com um encontro que reuniu mais de 500 pessoas em Carpina. Antes disto, esteve nos municípios de Timbaúba, Aliança e Nazaré da Mata, onde conciliou reuniões de trabalho para ouvir as lideranças locais sobre demandas e projetos, concedeu entrevistas a rádios e blogs da região, e esteve em contato direto com a população.

Em todos os municípios, e nas mensagens que chegavam às rádios, Armando era questionado sobre a conversa que teve com o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva na última semana. A todos, respondeu que encontrou Lula animado e disposto a participar do processo eleitoral de 2014 em Pernambuco.

O senador lembrou que as conquistas obtidas nos últimos anos em Pernambuco se devem ao forte apoio dos governos Lula e Dilma, valorizado pelo desempenho do governador Eduardo Campos. Ele citou projetos como a refinaria, o estaleiro, as três unidades petroquímicas, além do pólo farmacoquímico e a instalação da fábrica da FIAT, em Goiana, na Mata Norte. “O que permitiu a vinda da FIAT foi uma decisão do presidente Lula, quando criou o regime automotivo do Nordeste, com um conjunto de incentivos fiscais que foram decisivos”, destacou.

Armando também alertou que, apesar dos recentes investimentos, a Zona da Mata ainda precisa de um processo de reestruturação produtiva, com o estímulo de novas alternativas econômicas. “E para isto é preciso uma ação firme do Estado, uma ação indutora. Isto significa mais infraestrutura, mais investimento nas pessoas, na educação, na capacitação, na qualificação profissional”, defendeu.

Veja abaixo algumas declarações de Armando na visita à Mata Norte:

A Zona da Mata na nova agenda de Pernambuco 

“Na nova agenda de Pernambuco a Zona da Mata precisa ter um papel central, por ser a uma região que tem hoje as maiores dificuldades no Estado, porque carece de programas, não teve ainda os benefícios de um processo de reestruturação produtiva. Algumas oportunidades chegam através agora da perspectiva deste polo automotivo de Goiana, mas até que isto possa significar a possibilidade de integrar os municípios da região a este esforço nós teremos ainda um longo tempo. Então eu tenho uma especial preocupação com a Zona da Mata e quero estar próximo das lideranças da região, das lideranças políticas, das lideranças empresariais, dos sindicatos, de todos os setores da sociedade da Zona da Mata, que neste momento tem uma justa preocupação, que é a de pensar no futuro desta região. Porque a Zona da Mata de Pernambuco precisa estar integrada a este processo de desenvolvimento do Estado”.

O apoio dos governos Lula e Dilma a Pernambuco

“Pernambuco avançou nos últimos anos e eu não poderia deixar de creditar ao governador Eduardo Campos, à sua competência, ao seu dinamismo, grande parte dos resultados que nós alcançamos, que se traduzem exatamente numa aceleração do crescimento. Mas é sempre importante lembrar que isto se deu pelo forte apoio que o Governo Federal deu a Pernambuco. E aí temos que ser justos, temos que lembrar do presidente Lula, e temos que registrar o apoio que a presidente Dilma nunca deixou de dar a Pernambuco. Quando falamos dos grandes projetos, a refinaria, o estaleiro, as três unidades petroquímicas, a FIAT, em tudo isto existe uma decisão do Governo Federal, que foi fundamental na definição da vinda destes investimentos”. 

Desenvolvimento de melhor qualidade em Pernambuco

“Pernambuco deve agora, num novo ciclo político, numa nova etapa de sua vida política, garantir a sustentação e, mais do que isto, fazer um desenvolvimento de melhor qualidade, aliando o crescimento econômico à possibilidade de realizar um desenvolvimento que inclua todas as regiões. Porque precisamos fazer um desenvolvimento mais equilibrado. Pernambuco não pode se desenvolver apenas em uma região. Os pernambucanos não podem ter duas ou três classes de renda. Não é justo que o pernambucano da Zona da Mata tenha um terço da renda do pernambucano da área metropolitana. Precisamos fazer um desenvolvimento mais integrador, que corrija os desníveis que existem dentro de Pernambuco. E para isto é preciso uma ação firme do Estado, uma ação indutora. Isto significa mais infraestrutura, mais investimento nas pessoas, na educação, na capacitação, na qualificação profissional”.

Presenças – Participaram da visita de Armando à Zona da Mata os deputados estaduais Maviael Cavalcanti (DEM) – que esteve com o senador nos estúdios da Rádio Princesa Serrana de Timbaúba -, José Humberto (PTB) e Silvio Costa Filho (PTB). Também prestigiaram a agenda os deputados federais Silvio Costa (PSC) e José Chaves (PTB), os prefeitos de Goiana, Fred Gadelha (PTB), de Nazaré da Mata, Egrinaldo Coutinho, o Nado (PTB), e de Limoeiro, Ricardo Teobaldo (PTB).

Crédito da foto: Alexandre Albuquerque/divulgação

0 comentários:

Postar um comentário